4 de set de 2013


Relatos de Viagem Palmas-Belém





Confesso que não tinha planejado, nem sequer pensado no assunto, mas qdo se aproximava o dia de seguir para Belém com nosso ônibus teatro, dentro de mim despertou um desejo de continuar a viagem no ônibus, não  poderia e nem queria perder essa oportunidade única de atravessar  3 estados brasileiros: Tocantins, Maranhão e Pará, no nosso valente ônibus azul, o nosso querido Circular Teatro. Mesmo sabendo que era um trecho mais longo, 1.258Km, com um pouco de receio da Rodovia Belém – Brasilia, que na verdade nos surpreendeu com suas boas condições, decidi com muita expectativa percorrer mais esse trecho junto com Rafael Leite pilotando e dessa vez no apoio técnico, direto de Cuba, Carlos Ceiro .
1 dia segunda feira, 05 de agosto
Saímos de Palmas por volta de 9hs, cortando caminho por Barrolândia, e chegamos na Belém-Brasíia, muito movimentada:  carretas, carros e caminhões, mas para nossa surpresa, rodovia relativamente boa, alguns buracos, as vezes falta de acostamento, mas seguimos  bem. Paramos para almoçar ainda no estado do Tocantins,mas com a noite se  aproximando decidimos  dormir em Porto Franco, já no estado do Maranhão. Paisagem  e sotaques diferente, mas igual a curiosidade em relação ao nosso ônibus azul.   Chegando na pequena cidade percebemos um ruído estranho na parte baixa do ônibus, alerta pra na manha seguinte procurar um mecânico em terras maranhenses.
2 dia terça feira, 06 de agosto
Um dia difícil!!!logo cedo Rafael e Carlos foram procurar mecânico em Porto Franco, e batata,  problemas no rolamento do Cardam??? não sei exatamente do que se trata, mas sei que tínhamos que trocar a tal peça, o que foi feito, mas tb descobrimos que um dos pneus traseiros precisava ser trocado, compramos um meia vida que durou meia hora!Nova parada na estrada para o borracheiro improvisar um conserto até chegar na próxima cidade, Imperatriz, e comprar outro pneu, dessa vez novo. Imperatriz é uma cidade grande, a segunda do estado do Maranhão, lá foi feito a compra e a troca do pneu,  mas  um pouco incomodados com a correira, o trânsito e a grande desorganização, resolvemos seguir em frente, mesmo que anoitecendo, até a próxima cidade, Açailândia, onde paramos pra dormir. Na verdade o dia de hj foi bem desgastante e rodamos  pouco, acho que 250Km, mas nada como um bom descanso pra restabelecer nossas energias pra o novo dia.
3 dia quarta feira, 07 de agosto
Caímos na estrada bem cedo, antes das 8h pois a idéia é chegar ainda hj em Belém, e assim foi, por volta das 12h  entramos no estado do Pará, almoçamos em Ipixuna do Pará onde conhecemos o simpático Sr. Francisco, alegre e conversador, nos apresentou o prefeito da cidade e disse que gostaria muito de conhecer esse nosso “teatro”, que o que ele conhecia mesmo era “só circo”, e a lembrança do palhaço era a mais forte. Muito interessante como a paisagem muda, a estrada continua muito movimentada, cheia de retas, vendedores na beira da estrada e muito chão pela frente. Por volta de 18h já na Grande Belém pegamos a primeira chuva e tb um trânsito já bastante conhecido por nós que moramos em São Paulo, depois de dias nas estradas foi impactante cair na cidade grande, buzinas, poluição, anoitece e as luzes da cidade pulsam em Belém. Infelizmente, na madrugada quebraram o vidro do nosso ônibus, roubaram algumas coisas, nada de muito valor, mas a sensação é muito ruim, a violência é realmente  um grande nó, e difícil de desfazer,  além do mais, conseguir um vidro para nosso Modelo 1960 é bastante complicado, mas no final de semana conseguimos fazer uma adaptação e estamos pronto pra seguir viagem.
                       Eliana Bolanho

Nenhum comentário:

Postar um comentário