19 de set de 2013

Fortaleza e Natal



Marias da Luz em Fortaleza
Dias 07 e 08 de setembro de 2013
Parque das Crianças
Público aproximado: 150 pessoas

Em Fortaleza, pela primeira vez em nossas viagens pelo Brasil,  fizemos num parque muito parecido com o da luz. Um parque bonito, no centro da cidade, com um belo lago e construções que, assim como na Luz, nos remetem a um outro tempo. E também como no parque da Luz,  bastante frequentado por prostitutas, ao lado da cracolândia de Fortaleza e quase sem crianças, embora o nome do parque seja esse!
O parque estava praticamente vazio quando chegamos lá para começarmos os preparativos do espetáculo e percebemos que nosso público foi pro parque especialmente para nos ver, deixando claro que não frequentavam o lugar. Um público muito carinhoso, que nos agradecia por estarmos ali, por termos escolhido aquele parque, um lugar tão lindo e completamente abandonado pelas questões sociais que ali se escancaram.
E por isso mesmo, nesse parque também fica a secretaria dos direitos humanos e a Julia, uma funcionária que trabalha lá, veio falar com a gente no final do espetáculo e disse que eles também fazem esse trabalho de recolher histórias das mulheres que frequentam o parque, base da criação do nosso espetáculo. Ela foi no sábado e no domingo levou um grupo de mulheres com quem trabalha. Foi emocionante! Mulheres que nos olhavam em cena com a cumplicidade de quem já conhece aquelas histórias.
Foram dois belos espetáculos, onde resgatamos um pouco do nosso processo criativo no parque da Luz: denso, sofrido, mas também forte e exuberante! 

Marias da Luz em Natal
Dias 14 e 15 de setembro
Parque das Dunas
Público aproximado: 250 pessoas

Dunas é um parque lindíssimo, é a segunda maior reserva urbana de  Mata Atlântica do Brasil. Não é à toa que encontramos macaquinhos por onde andamos e até uma cobra foi resgatada pela polícia florestal, quando estávamos nos preparando pro espetáculo. Alguns desses macacos roubaram a cena pois se aproximaram de nós no meio do espetáculo, como se quisessem entender o que se passava ali.
Esse parque fica também ao lado de um hospital psiquiátrico, Dr. João Machado, e segundo os frequentadores do parque, não é novidade quando algum deles pulam o muro e ficam andando pelo parque. E por causa disso, várias das pessoas que entravam no parque e não sabiam do espetáculo, ou não sabiam que ele já tinha começado, achavam que a primeira cena, onde uma mãe escreve no chão e coloca fotos desfocadas de sua filha desaparecida, era na verdade uma mulher que tinha fugido do hospital e que precisava ser levada de volta pra lá.  Isso foi muito impressionante em Natal. Como as pessoas confundiram a ficção com realidade. Teve gente que no final do espetáculo veio pedir desculpas e dizer que não sabia que se tratava de um "espetáculo" e por isso interferiram na cena. Um presente pra nós, que nos colocamos em um lugar cênico desafiador e mágico…
Nesse parque também tivemos nosso maior público. No domingo, aproximadamente 200 pessoas assistiram o espetáculo. Imagens lindas de muitas pessoas caminhando juntas entre as arvores, pássaros e macaquinhos simpáticos que acompanhavam o espetáculo!
              Juliana Gontijo

             Gostaria de acrescentar que em Natal ocorreu um fato inusitado: no final do espetáculo as pessoas acompanharam o ônibus, como uma procissão, como se quisessem continuar com a gente, foi emocionante!!!!
         Eliana Bolanho

                  

Nenhum comentário:

Postar um comentário